Dia D contra sarampo: vacinação acontece neste sábado (10) em 82 postos de saúde

Para manter Salvador livre do sarampo, a Prefeitura realiza neste sábado (10), o Dia D municipal da vacinação contra a doença.  Além das ações que já são realizadas ao longo do ano, como a capacitação dos profissionais para a atualização vacinal durante a rotina, essa é mais uma das estratégias adotadas pela Secretaria Municipal da Saúde para proteger a população de uma doença de fácil contágio.

Mais de 80 postos de saúde estarão abertos das 08 às 17 horas ofertando a imunização contra o sarampo, doença transmitida por secreções como gotículas eliminadas pelo espirro, tosse e fala.

A população com idade entre 12 meses e 49 anos que ainda não se protegeu deverá comparecer aos postos de saúde do município munida do cartão de vacina e documento de identificação para atualização.

“É importante ressaltar que a imunização não será indiscriminada, ou seja, será avaliada a situação vacinal pessoa a pessoa, quem já tomou a vacina não precisa ser revacinada porque já está protegida” pontuou a subcoordenadora de imunização, Doiane Lemos.

Vale destacar que a população não precisa esperar até o Dia D para garantir a proteção contra a doença uma vez que a vacina está disponível na rede básica de saúde de segunda à sexta-feira- exceto feriados-, das 08:00 às 17:00 horas.

Sarampo

É uma doença infecciosa transmitida pela tosse e espirro extremamente contagioso que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade.

Os principais sinais e sintomas do sarampo:

  • Febre alta, acima de 38,5°C;
  • Dor de cabeça;
  • Manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham pelo corpo;
  • Tosse;
  • Coriza -nariz escorrendo-;
  • Conjuntivite;
  • Mal estar

Quem deve se vacinar contra o sarampo

  • 12 meses a 4 anos uma dose da tríplice viral e uma dose da tetra viral (com intervalo de 30 dias)
  • 5 a 29 anos duas doses da tríplice viral (com intervalo de 30 dias)
  • 30 a 49 anos uma dose do tríplice viral
  • Profissionais de saúde de qualquer idade portando documento comprobatório (crachá, contracheque, carteira de trabalho) duas doses da tríplice viral respeitando o intervalo de 30 dias após a primeira.