Campanha de vacinação antirrábica é prorrogada

O Centro de Controle de Zoonose prorrogou a campanha de vacinação antirrábica até o dia 30 de outubro nos postos de saúde (o prazo se encerraria nesta sexta-feira, dia 16). Já a ação volante, feita por agentes de endemias nos bairros, está mantida até a sexta-feira (16). Com a prorrogação, a população tem mais três semanas para participar da campanha, levando cães e gatos para que sejam protegidos da raiva. Até o momento, 131 mil bichos já foram imunizados desde o início da campanha, no dia 17 de agosto. A meta é imunizar 180 mil.
A vacinação é feita de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, em 92 postos de saúde distribuídos em todos os distritos sanitários e também por meio do atendimento volante. Devem ser imunizados animais a partir dos três meses de idade, exceto os que estiverem doentes. As doses devem ser aplicadas anualmente, mas para o animal que está se vacinando pela primeira vez é preciso repetir a imunização após 30 dias.
Segundo Danielle Dantas, chefe do setor de Vigilância da Raiva do CCZ, é extremamente importante vacinar o cão e o gato, principalmente devido à letalidade da raiva. “A raiva é uma zoonose viral letal para os animais e tem quase 100% de letalidade para os seres humanos. Uma vez o animal imunizado, afasta a possibilidade de adoecer com a raiva e também de infectar o homem. Por isso, quem tem cão e gato tem que deixar sempre atualizada a carteira de imunização do animal”, afirma.
O último caso de raiva humana em Salvador foi registrado em 2004 e o último registro da doença em animal, em 2009. A ausência da doença nos últimos anos ocorre graças à vacinação.
Unidades – Para saber onde está o posto mais próximo, o cidadão pode verificar a relação das unidades no site da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), ligar para o Fala Salvador 156 ou para o telefone (71) 3611-7331. “Quem tem muitos animais pode, inclusive, solicitar uma visita domiciliar ao CCZ por meio do telefone fixo informado. Para os demais casos, é importante levar aos postos e receber os agentes que estão atuando nos bairros”, conclui Danielle.