Baixa procura por vacinas deixa Salvador em alerta para circulação dos vírus da pólio e sarampo

Salas de vacina vazias. Essa tem sido a realidade da maior parte dos 125 pontos de imunização da rede municipal da Saúde dois dias após o anúncio da prorrogação da campanha contra pólio e sarampo em Salvador. A baixa procura pelas doses preocupa o poder público uma vez que o país vive numa eminência de surto de sarampo e sob alerta para a volta da circulação do vírus da poliomielite.

“Infelizmente pais e responsáveis ainda não deram conta da seriedade da situação epidemiológica no país. Algumas regiões do Brasil já estão vivendo uma epidemia de sarampo e o risco da volta de casos de pólio também é eminente. A melhor forma de mantermos nossa cidade livre dessas doenças é protegendo os pequenos com as doses das vacinas”, alertou Doiane Lemos, subcoordenadora de Doenças Imunipreveníveis.

Até o momento, a campanha vacinou apenas 94 mil crianças na capital, número que corresponde a 71% da população elegível residente no município. Cerca de 40 mil crianças entre um e menores de cinco anos ainda estão desprotegidas na capital baiana. A meta da gestão é proteger pelo menos 95% dos 134 mil pequenos que vivem em Salvador.

As doses seguem disponíveis de segunda a sexta-feira, das 08 às 17 horas, em 125 unidades básicas da rede municipal. Para ampliar o acesso, cinco postos de referência estão funcionando exclusivamente para a imunização das crianças com horário estendido até às 20 horas.

Lista dos postos que funcionarão com horário estendido a partir desta quarta-feira (29):

– USF CLEMENTINO FRAGA (ANTIGO 5º CENTRO DE SAÚDE) – AV. CENTENÁRIO, S/ Nº, BARRIS
– MULTICENTRO AMARALINA – AV. VISCONDE DE ITABORAY, 113 – AMARALINA
– MULTICENTRO LIBERDADE – RUA LIMA E SILVA Nº 217 LIBERDADE
– 12º CENTRO DE SASÚDE ALFREDO BUREAU – RUA JAIME SALPONICK, SN CONJ GUILHERME MARBACK
– CENTRO DE SAÚDE JOSÉ MARIANE – AVENIDA DORIVAL CAYMMI, S/Nº – ITAPUÃ