Campanha de vacinação para grupo prioritário inicia em 23 de abril na capital baiana

Inicia na próxima segunda-feira, 23 de abril, em Salvador, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Voltada para idosos (a partir de 60 anos), crianças (de 6 meses a menores de 5 anos), gestantes, puérperas (mulheres que ganharam bebê nos últimos 45 dias), trabalhadores de saúde do serviço público e privado, jovens de 12 a 21 anos de sob medidas socioeducativas, professores, portadores de doenças crônicas e a população carcerária que reside na capital baiana, a estratégia que seguirá até 1º de junho nos 126 postos da rede básica do município, tem como meta imunizar pelo menos 90% das mais de 690 mil pessoas do público alvo.

Em 2018, a Secretaria Municipal da Saúde registrou 36 ocorrências de influenza H1N1. Até o momento, oito pessoas morreram em decorrência de complicações da doença. “Estamos com nossas equipes operacionais prontas para atender a população alvo a partir de segunda-feira nas 126 salas de imunização da rede. É importante ressaltar que uma das medidas mais eficazes de prevenção da doença é a vacina, podendo reduzir em até 45% o número de hospitalizações por pneumonias e até 75% a mortalidade global por complicações da influenza”, pontuou Doiane Lemos, subcoordenadora de Controle de Doenças Imunopreveníveis de Salvador.

Este ano, o imunobiológico disponibilizado para população será trivalente, que protege contra os sorotipos H1N1, H3N2 e o influenza do tipo B Yamagata. “A composição da vacina que é feita pela Organização Mundial de Saúde, obedece uma análise de informações enviadas por centros de vigilância de vários países. Nesse estudo, são verificados os subtipos virais que estão circulando para garantir a proteção mais eficaz da população prioritária”, esclareceu Doiane.

Apesar da vacinação ser a medida mais eficaz para a proteção contra a influenza, algumas ações simples podem ajudar a evitar a transmissão do agravo. Lavar frequentemente as mãos, ter uma alimentação balanceada e beber bastante água para manter a imunidade alta são algumas dicas dadas por Doiane Lemos. “Esse é o período do ano é mais propício para disseminação do vírus porque por conta do clima mais frio e chuvoso as pessoas tendem a permanecer por mais tempo em ambientes fechados ou com pouca ventilação. A orientação é sempre que estiver num espaço público movimentado, evitar tocar os olhos e o nariz antes de lavar bem as mãos. Usar regularmente o álcool em gel para higienizar as mãos também é uma boa prática para evitar a contaminação”, finalizou.

Por: Silvia Castro